31 de dez de 2012

Começando tudo de novo!


Ano novo significa vida nova. Ou ao menos deveria. Começamos o ano cheio de planos mas parece que os meses vão passando e vamos esquecendo. Bom, nesse novo ano que chega quero deixar minhas metas bem esclarecidas e "aparecidas"! Quero lembrá-las todos os dias e me esforçar para que dê certo. Me esforçar mais, me dedicar mais, me entregar mais... acho que o nível atual não é o suficiente.


Desejo para mim e para todos você um 2013 cheinho de conquistas! Que cada novo dia seja um desafio a ser vencido e que as soon as possible cada ítem da lista de 2013 seja alçançado!




FELIZ ANO NOVO da Cia Corpo em Cena!

28 de dez de 2012

Qual é o seu Top 5?

Qual é o seu TOP 5 de filmes? É muito difícil escolher. Pensando nisso outro dia. cheguei a conclusão de alguns que eu gosto muito:

- o auto da compadecida
- a origem
- memento
- 2 coelhos
- titanic
- clube da luta
- o orfanato
- curtindo a vida adoidado
- as patricinhas de beverly hills (é serio!)

E você, gosta de quais? Qual o seu número 1?




Gabrielli Fernandes


PS: este é um dos posters que mais gosto!

7 de nov de 2012

Analu no SESC!

11/11 e 25/11 às 16h tem Analu e as Confusões do Mundo da Imaginação no Teatro do SESC (Alberto Bins, 665 - Centro Histórico - Porto Alegre)!

Não percam! 


Gratuito para Comerciários com Cartão Sesc/Senac (apenas para quem retirar o ingresso antecipadamente no Sesc Centro)

R$ 10,00 Público em geral, R$ 5,00 idosos, classe artística estudantes e comerciários com cartão Sesc/Senac (ingressos a venda na bilheteria do teatro, nos dias de espetáculo - 1h antes da apresentação)





Informações: https://www.sesc-rs.com.br/artesesc
                         





2 de nov de 2012

Precisamos falar sobre Kevin

Filme baseado no livro homônimo de Lionel Shriver, com Tilda Swinton, John C. Reilly e Ezra Miller. O filme conta a história de uma mulher que carrega nas costas uma "ação" do filho. De forma não linear a  diretora Lynne Ramsey, conta a história de forma fragmentada mostrando fatos da descoberta do ser mãe, do contato dela com o filho e depois da "ação", como ficou a cabeça dessa mãe. O filme é belíssimo, lembra a estrutura do filme brasileiro "Estômago", tem nos seus atores principais muita visceralidade, principalmente a atriz Tilda Swinton, ela vive de forma muito impactante todas as mudanças de comportamento da personagem numa neutralidade absurdamente perfeita, Ezra miller tb convence muito na pele de Kevin, o único que eu diria que defende o papel mas de forma bem natural é John C Reilly, mas também porque a história central era da mãe com o filho. Muito bom, vale a pena ser descoberto!!      


Eugênio Moreira

19 de out de 2012

+ Analu pra você!

E nosso espetáculo infantil anda a todo vapor! Tem mais Analu e as Confusões do Mundo da Imaginação , criado pela Cia Corpo em Cena pra vocês e os pequeninos! Não percam, são somente duas apresentações!



QUANDO: 21 e 28 de outubro de 2012 (domingo)
QUE HORAS: 16 horas
ONDE: Usina do Gasômetro - Porto Alegre/RS
QUANTO: R$5









“Analu e as Confusões do Mundo da Imaginação” conta a história de uma menina chamada Analu, que gosta muito de ler e acredita em contos de fadas e seus personagens. Ela é provocada pelo seu colega de escola Diego, que insiste em chamá-la de boba por acreditar na fantasia. Mas algo inesperado acontece, e Diego, por uma ironia do destino, acaba comprovando com seus próprios olhos que tudo é possível no Mundo da Imaginação.




Direção: Eugênio Moreira

Texto: Gabrielli Fernandes e Suka Rodriguez

Elenco: Aline Roehrs, Douglas Cruz, Eugênio Moreira, Gabrielli Fernandes e Suka Rodriguez

Iluminação/Som: Lucas Furno

Composições originais: Suka Rodriguez e Aline Roehrs

Figurino: Gabrielli Fernandes

Fotos: Thieli Viana

Cenografia: Cia Corpo em Cena

Realização: Cia Corpo em Cena





8 de out de 2012

Analu na semana da criança

O espetáculo  ANALU E AS CONFUSÕES DO MUNDO DA IMAGINAÇÃO será apresentado na 4ª Mostra de Teatro Infantil de Porto Alegre, comemorando a semana da criança!

Dias 8 e 9 de outubro de 2012 na Sala Alvaro Moreira às 14h30. É muito bom pode levar nossa história para mais crianças!

Gabrielli Fernandes, Suka Rodriguez, Douglas Cruz, Eugênio Moreira e Aline Roehrs


Abraço,

Gabrielli Fernandes

29 de jul de 2012

Apollo 18

Em uma fase que durou da infância a pré-adolescência, eu fui muito obcecada por astronomia em geral, tudo que falasse sobre planetas, galáxias, vida extraterrestre, etc, eu lia. A paixão pelo teatro falou mais alto mas nunca esqueci a Gabrielli que adorava fisica e queria ser astrônoma. Uma parte disso segue até hoje, estou sempre vendo os documentários do History Channel, Discovery Channel, SyFy... que falam sobre o assunto.

Quando li a sinopse do Apollo 18 não resisti e fui assistir: uma mistura de cenas "reais" gravadas da missão secreta à Lua, a Apollo 18, pois a ultima teoricamente foi a Apollo 17 em 1972. No filme, os tripulantes da missão se perguntam porque estão em mais uma missão já que a NASA tem vários quilos do terreno lunar, mas vão mesmo assim.

Com certeza muitas cenas na Lua parecem ser gravadas em uma câmerazinha, e isso deixa tudo interessante. Acho que o problema do filme é o que eles dizem ter acontecido: existem seres malignos lá e tudo era uma experiência da NASA. 

Se você gosta de uma teoria da conspiração é bem bacana! Mas não fique esperando muito, o filme cai num clichê clássico dos filme sobre ETS... mas as perguntas a se fazer são: se existiu uma missão Apollo 18 e ela não retornou, como se tem as fitas? O homem realmente pisou na lua? 

É pra ficar pensando no assunto!

Gabrielli Fernandes
facebook.com/fernandes.gabrielli

28 de jul de 2012

Poltergeist

Assisti Poltergeist – O fenômeno esses dias, devem estar se perguntando “nossa, mas só agora foi assistir?” sim somente agora.
A história, como todos sabem é sobre uma família que é visitada por fantasmas, mas a história não se resume somente a isso.
Para começar, penso que o filme relata além de “fantasmas” e sim sobre crenças e perfil familiar também.
Gente, o que é a mãe da menina?? “mente aberta?” como ela dizia, colocava a própria filha para     “ brincar de arrastar” com os fantasmas.
Acho que ai se dá o inicio de tudo, a brecha!



O mistério que cerca a história vem a ser revelado mais ao fim do filme, no qual não irei revelar, mas o fato é que oque aconteceu naquela casa, poderia ter acontecido em qualquer outra, porém a brecha pode ter determinado o fenômeno ter ocorrido naquela casa!
Acreditam em Poltergeist? Bem, há quem diz já ter vivenciado. O fato é que o bendito Steven Spielberg soube fazer um filme bem feito.
Levando em consideração de que o filme foi gravado nos anos 80, onde os recursos eram bem menores do que hoje, pode-se dizer que ele fazia “milagres” em efeitos.
Vendo o filme eu entendi de onde saiu a ideia de a menininha do filme “O chamado” sair da TV ou os moveis se mexerem em “Atividade Paranormal”. E ainda havia pessoas achando que Atividade Paranormal era um vídeo verídico, dizendo “como fazer um móvel se mexer daquele jeito?” é pessoal o “poder” da edição, não vem de hoje!
Poltergeist em minha opinião apesar de ser um filme antigo, e com a qualidade de câmera não agradável aos olhos quanto as de hoje, Poltergeist é uma obra completa, onde não semente há efeitos visuais e sim o roteiro tem um contexto, o sentido de existir cada um dos personagens completa exatamente o filme. Enfim, quem não viu veja e tire suas próprias conclusões.
Aline Roehrs

27 de jul de 2012

Deus da Carnificina

Deus da Carnificina (Carnage) Dir. Roman Polanski. Com Jodie Foster, Michael C. Hall, Kate Winslet e Christoph Waltz.



Filme baseado na peça teatral homônima de Yasmina Reza (que ajudou a montar o roteiro do filme). Conta a história de um casal (Foster/Hall) que tem seu filho machucado pelo filho de outro casal (Winslet/Waltz). O segundo casal vai discutir a ação do filho quando vários outros assuntos vem à tona formando um mosaico de frustrações que vão de briga de casal até a loucura. Um belo texto, interpretado com maestria pelo quarteto e dirigido com excelência por Polanski. Mesmo que a ação do filme se desenvolva no apartamento do primeiro casal o filme não perde o pique e tem situações inusitadas. Bem bom.

Eugênio Moreira

26 de jul de 2012

Mona Lisa Smile

O Sorriso de Mona Lisa, um filme que relata a história de Katharine, uma professora recém-graduada vivida por Julia Roberts, que consegue um emprego em outra cidade, onde inicialmente julga ser o emprego de sua carreira, onde começou a lecionar aulas de História da arte. 
Parece mais uma história comum, na verdade foi comum, nos anos 50, porém até hoje a história relatada ainda é vivida por muitas mulheres, mas de maneira diferente, porém com a mesma essência.
A escola onde Katherine leciona se chama Colégio Wellesley, escola esta que tem a fama de reunir as mulheres mais inteligentes do país. Uma escola conservadora, da alta sociedade, que literalmente prepara mulheres para serem ótimas donas de casa. Nesta época, as mulheres tinham poucas oportunidades de estudos em graduação e o colégio Wellesley, vendia a ideia de que uma mulher tinha o direito de se formar, porém na realidade, o colégio formava esposas, donas de casa e não profissionais como uma médica, uma advogada. A escola pregava que as mulheres deveriam dedicar-se a seus esposos, a seu lar, elas deveriam ser refinadas, entender de arte, entender de como auxiliar o marido para jantares de negócios e isto tudo vinha contra os princípios de Katharine, uma mulher liberal, que largou o namorado para lecionar em outra cidade, o que acabou acarretando o fim do relacionamento.

Katharine não era contra o casamento, pensava que uma mulher poderia ser casada e também trabalhar e estudar, princípios contrários a instituição no qual ela vinha pregando. Então ela se viu em um dilema, continuar nesta escola e ir contra seus princípios ou manter-se nela? Bem, ela ali, não somente ensinou, mas também aprendeu que muitas daquelas meninas realmente sonhavam em serem donas de casa, não porque a sociedade as impôs isso, mas simplesmente porque queriam. E muitas destas meninas aprenderam com ela, de que a sociedade não deve ditar as regras e sim elas mesmas e enfrentarem seus dilemas e irem atrás de seus sonhos.
As jovens aprenderam com ela de que podem ver algo “além de uma pintura” através da arte, ela ensinou que aquelas meninas poderiam ser e decidir o que realmente pensam e querem, ensinou elas a pensar e não reproduzir o que a sociedade as ditavam.
Este filme na minha humilde opinião, não é somente um filme feminista e sim um filme que ajuda a pensar, isso serve para homens e mulheres.
O que você vê através de uma pintura? ”borrões de tinta? Algo determinado pela sociedade como bom ou ruim? Ou sentimento?!”
Fica a dica de um bom filme para ver, ou rever, com olhos mais focados a este pensamento, com a mente aberta.

Aline Roehrs